Revendo minha teoria sobre a Lei de Murphy

Sempre me considerei a musa inspiradora da Lei de Murphy. É sempre na minha vez que o caixa dá problema; entro numa empresa e, quando chega a hora de reajustar meu salário, a política é revista e fico de fora; minha meia sempre encontra um prego para rasgar; as pessoas que me atendem estão sempre em treinamento e eu com pressa; meu carro sempre dá problema nas horas impróprias; e por aí vai…

Porém, esse final de semana, tive que rever minha posição graças a Rubens Barrichello. PQP, que cara azarado!

O cara nunca deu sorte na carreira, vamos combinar!? Se um carro quebra, é o dele; se existe uma possibilidade de o pneu furar, nem adianta rezar, porque o dele fura…

Não satisfeito com o desastre próprio, o bonito resolveu espalhar sua onda de azar entre os amigos e foi lá fuder com a vida do Felipe Massa.

É foda, né? Agora, além de ser lembrado como o piloto que sempre quebra e nunca vence, Rubinho também será eternizado como o dono do carro que soltou a mola que quase acabou com a vida do Massa. Coitado, eu tenho pena.

Brasil-sil-sil-sil!

Anúncios

Um comentário sobre “Revendo minha teoria sobre a Lei de Murphy

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s