Inferno Astral

Eu sou daquelas pessoas que não acreditam nas bruxas, mas sabem que elas existem. Sempre faço simpatias de final de ano só para prevenir, uso roupa nova no aniversário para renovar meu espírito… e por aí vai.

Sempre acreditei no inferno astral, mas nunca vivi um tão feio como esse. Brigas com pessoas importantes, insegurança, ciúmes, obras do acaso, surtos… tudo está acontecendo e ainda faltam dois dias para o meu aniversário.

Ontem de noite, pensei, agora chega, né? Pois bem, acordo hoje de manhã, venho trabalhar e o que vejo? Meu carro novo terá que passar por um recall. Apesar de não ser o modelo listado, o chassi dele se encaixa na lista milagrosamente!

Sério, nunca torci tanto para o dia 20 de agosto chegar!

Anúncios

Novas idéias

Estou cada dia mais próxima dos 30. Tudo bem que falta um pouco mais do que dois anos para a data, mas como nasci prematura, acho que eu antecipo algumas crises.

A crise dos 30 veio antes. Ando com uma vontade tremenda de mudar, dar uma revirada na vida, me tornar outra pessoa, achar situações mais estimulantes.

Quero um guarda-roupa novo; quero fazer um curso escândalo para deixar meu currículo apetitoso; quero mudar de País; quero emagrecer; quero ser aquele de tipo de mulher atraente; quero me tornar uma pessoa interessante cheia de histórias que deixem as pessoas encantadas; quero sair com a mochila nas costas e conhecer o mundo. Resumindo: quero me tornar aquele tipo de gente que os outros olhem e falem “nossa, queria ter a vida dela”.

Odeio essas crises, porque fico toda encanada. Sei que minha vida não é de todo mal e tenho um monte de coisas interessantes, mas não consigo me contentar com elas.

Quero mais! Preciso de mais! Porém, minha ansiedade para realizar certas coisas estraga tudo: acabo engordando, dormindo mal, ficando sem estímulo.

Ai, preciso de terapia!

Minhas férias

Não, isso não é uma redação de voltas às aulas… é apenas um pensamento de quem anda sonhando com uns dias de folga para viajar e pensar em nada.

Ainda não sei quando eu saio de férias, mas sei para onde vou: Chile! Meu desejo era Paris, mas minha conta bancária ainda é muito imatura para tal feito.

Quero ir para o Chile encher a cara de vinhos, andar próximo da Cordileira dos Andes, ver o vulcão em Pucon e andar até a sola do meu pé ficar dolorida.

Prometo contar tudo depois por aqui, mas faltam alguns meses ainda, por isso, não cobrem.

Enquanto isso, aguardo, ansiosamente, meus presentes de aniversário. =D

Aniversário chegando

Quando eu era pequena, minha mãe dizia que eu terminava um aniversário programando o outro. Logo que entrei na faculdade, mudei um pouco e passei a odiar. Faz somente uns seis anos que voltei a comemorar.

Às vezes, minha mente criativa começa a se questionar: por que isso de comemoração? Fora o stress envolvido: onde comemorar, quem chamar, o que fazer, como agradar a todos e será que todo mundo vai?

Tem gente que some o ano inteiro, vejo só no aniversário e é sempre aquela coisa: “ai, precisamos nos ver e nos falar mais”. Nunca acontece e, no ano seguinte, faz-se a mesma coisa.

Tem gente que chamo por obrigação, tem gente que chamo porque quero ter por perto e, quem odeio, costumo nem chamar.

Fico desesperada na comemoração porque nunca sei quanto tempo devo conversar com cada pessoa e acabo não conversando com ninguém direito, fico me sentindo culpada por isso.

Agora, uma parte que adoro são presentes. Adoro. Sejam eles o que forem, os presentes são sempre muito benvindos, anotem, ok?

Esse ano estou meio dividida: tem horas que me empolgo com a comemoração, tem horas que gostaria de ficar só somente. Vamos ver como fico até a data.