Ainda sobre o Chile

Minhas férias sempre rendem assunto para um ano. Até a próxima viagem, relembro os lugares que visitei, as histórias engraçadas e curiosas… Isso sem contar as fotos. Essas últimas férias foram memoráveis ainda mais. Afinal, não é todo dia que você vivencia um dos maiores terremotos da história.

Esses dias, fiquei me lembrando de um dia especial: quando conheci a casa de Pablo Neruda em Santiago. Nunca fui uma pessoa fanática por poesia. Sou uma amante de literatura, mas rimas não me interessam tanto, confesso. Porém, gosto de histórias e biografias interessantes. A do Pablo Neruda sempre me chamou muito a atenção. Estando no Chile, impossível não tomar contato com um dos maiores ídolos daquele País.

Estive em duas das casas de Neruda que foram conservadas e abertas para Visitação: a de Santiago e a de Valparaíso. Os lugares são a cara do estilo do poeta Prêmio Nobel. Coisista, como ele se denominava, os espaços das casas são abarrotados de coisas que ele coletou ao longo da vida, assim como presentes bem interessantes que ele ganhou.

Coisas que vão de um par de sapatos gigante a um quadro de algum pintor famoso. Isso sem contar às lembranças do mar. Apaixonado pelo mar, Neruda levou o fanatismo para suas casas, que em algumas partes, lembram parte de embarcações. Isso sem contar as passagens secretas, que possibilitavam entradas surpresas e estratégicas em suas famosas noitadas, além de facilitar um pouco sua vida na época da Ditadura.

Fiquei lembrando dele esses dias e me deu até vontade de ler seus livros e tomar mais contato com os seus poemas. Mais do que isso, fiquei me imaginando numa de suas festas, ouvindo suas histórias interessantes de vida… uma pena que os bons vão embora, não é?

Dúvida política

Essa não é a primeira eleição para presidente que eu voto, mas nunca tive uma dúvida tão grande. Olho as três opções e, sinceramente, não vejo esperança em nenhum dos três candidatos.

Temos um senhor maligno que finge ser gente boa; uma senhora que não me inspira confiança e tem voz de bêbada; e, para finalizar a tríade principal, outra senhora que só pensa no verde e apresenta ideias utópicas por demais para um país em fase de crescimento como o Brasil.

Queria ter mais opções. Estou bem cansada de escolher pessoas com discursos pré-fabricados, vazios e falsos. Acho tão engraçado ver alguns levantando bandeiras que nunca lhe pertenceram e se apropriando da crença alheia.

Sustentabilidade, por exemplo, está na boca de todos. Fica parecendo aquelas empresas que se dizem sustentáveis só porque fazem coleta seletiva.

Enfim, tenho muito medo dessa eleição e do que pode acontecer daqui para frente. Um doido pode controlar o BC, uma senhora parecida com Walter Mercado pode roubar nossos cofres ou outra que tem jeito de lobo na pele de ovelha pode transformar isso aqui num assistencialismo sem fim. Ai, posso não votar em ninguém?