Hoje é o Dia do Macarrão

Recebi um e-mail hoje dizendo que 25 de outubro é o Dia do Macarrão. A data foi criada em 1995, num Congresso que aconteceu na Itália e reuniu os principais fabricantes de massa do mundo. Para comemorar (mesmo que tardiamente), resolvi dividir uma receita mais leve que fiz no sábado usando um macarrão spaghatti bem simples.

Bom, como já disse duas vezes, estou de regime. Porém, os livrinhos que comprei dizem que é possível incluir uma massinha (mesmo as de farinha branca), desde que você a faça sem aqueles molhos mega calóricos. Fui nessa linha e me dei bem.

Primeiro, cozinhei o macarrão (o suficiente para duas pessoas) até ele ficar ao dente. Escorri a água e joguei bastante água fria para pausar o cozimento. Fritei um dente de alho e refoguei no azeite dois tomates Déboras médios, cortados em cubinhos, com semente e tudo. Quando ele começou a soltar água, juntei umas 5 tirinhas de ricota defumada cortadas em cubinhos também. Para finalizar, uma pitada leve de sal, um punhado de manjericão seco e uma lata de atum. Juntei essa misturinha no macarrão e mandei ver.

Leve e delicioso! E viva o Macarrão!!!!

Tomate no forno

O regime começou! E, para fugir do lugar comum, resolvi que iria iniciá-lo em plena sexta-feira. Prova de fogo total. Além de fugir de happy hour e de toda a festança gastronômica que vem junto com o final de semana. Não só resisti a tudo isso, como ainda fiz uma sessão de esteira em plena noite de sexta.

Depois de 4 km na esteira, fui me alimentar. Como tinha decidido pelo regime naquele dia, faltavam algumas opções na minha geladeira. Resolvi usar dois tomates que estavam dando sopa, parte de uma ricota defumada, maionese light (mesmo sem fazer regime, tenho costume de comprar produtos lights), mostarda e queijo ralado.

Abri os tomates e passei uma colher rasa de maionese no interior dos mesmos. Coloquei uma tira de ricota em cada um, cortada em cubinhos, além de um pouco de mostarda em grão. Em cima, coloquei uma azeitona cortada e salpiquei com queijo ralado. Levei ao forno por cerca de 15, 20 minutos e pronto.

Tomate e ricota defumada também estão na receita do próximo post.

Emagrecer e cozinhar

Estou um pouco desistimulada com a cozinha. Isso porque estou bem acima do meu peso e gostaria muito de eliminar os kg a mais. E tudo o que penso em comer ou é calórico, ou é salada.

Chega uma hora em que a criatividade acaba. E hoje, depois de uma camisa ficar bem justa, resolvi que iria buscar uma solução.

Neurótica e ansiosa que sou, na hora do almoço, corri até a livraria e busquei alguns livro que tivesse somente opções leves e lights para montar meu cardápio. Peguei os mais baratinhos mesmo e já estou com uma mente bem mais aberta para a minha dieta.

Ainda vou testar as receitas, mas já queria dividir a dica com vocês.

Livro 1

Um dos escolhidos é Coração Saudável – Receitas Saborosas e com Baixo Teor de Gordura. Por conta do meu histórico familiar de doenças cardíacas, o título chamou minha atenção e, pelo o que li, tem várias opções interessantes e com calorias baixas por porções.

livro 2

O segundo livro se chama Banquetes Light. Bom, também me interessei pelo nome e pela quantidade de pratos quentes. Porque uma das dificuldades que mais tenho com dieta é criar pratos quentes que não sejam somente um grelhado. Eles têm opções até de risoto e massas!

E o melhor que cada um dos livrinhos me custou menos de 20 reais! =D

Muffin salgado

Costumo comprar ingredientes para cozinhar de acordo com a minha necessidade e vontade. Tenho sempre ingredientes básicos, mas não fico com um monte de coisa porque sempre estraga, vence etc. Isso é bom para evitar desperdício, mas é uma desgraça para dias de preguiça em que você não quer colocar o pé para fora de casa.

Estava eu num dia que pagava para não ir ao mercado, mas que precisava comer algo que não fosse macarrão. Tinha tomate, provolone e todos os outros ingredientes que renderiam um bom muffin salgado. Também tinha algumas folhas de alface para fazer uma saladinha de acompanhamento. E foi assim que se fez uma refeição mais leve e bem saborosa.

2 tomates picados
2 colheres de sopa de manjericão seco
1 xícara de provolone processado
1 xícara de leite
4 colheres de sopa de manteiga
2 ovos
1 e 1/2 xícara de farinha de trigo (metade branca e a outra metade integral)
3 colheres de chá de fermento

Enquanto você prepara a massa, pré-aqueça o forno a 180º. Peneire a farinha e o fermento e coloque-os numa tigela grande. Leve o leite para ferver com a manteiga e o manjericão. Quando ferver, acrescente os ovos e despeje a mistura na tigela com a farinha. Misture tudo e coloque uma pitada de sal. Misture o queijo e, por último, coloque o tomate. Coloque em formas de empadas ou de cupcake. A minha receita deu cerca de 14 forminhas.

A massa ficou sensacional de boa e beeeem levinha.
A inspiração para a receita veio de dois blogs que adoro ler: Panelaterapia e Cozinha da Magali.

Atum na moranga sem a moranga

Por conta do meu trabalho, eu fui acompanhar uma culinarista num programa de TV há cerca de quase dois anos e aprendi algumas dicas preciosas e uma receita que é uma delícia. Fugindo do camarão e buscando uma alternativa barata, ela sugeriu trocar o crustáceo pelo atum e lata. E dá certo!

Eu faço a receita sem a moranga porque cozinhá-la e limpá-la dá muito trabalho.

Os ingredientes são:

3 latas de Atum Sólido em Óleo
1 cebolas grandes picadas
3 tomates maduros picados
5 colheres (sopa) de farinha de trigo
2 xícaras (chá) de leite
2 colheres (sopa) de salsinha picada
sal e molho de pimenta a gosto
cerca de 250g de requeijão cremoso

Numa panela, coloque o óleo de uma das latas de atum (assim você reforça o sabor do peixe) e a cebola. Refogue até a cebola começar a dourar. Acrescente os tomates e continue refogando até começarem a desmanchar. Aí, dissolva a farinha no leite em um pote e acrescente na panela e cozinhe mexendo sempre até encorpar. Acrescente os atuns, a salsinha, o sal e o molho de pimenta. Por fim, coloque o requeijão cremoso e mexa delicadamente.

Sirva com um arroz branco e batata palha. Receita simples, fácil e que agrada muito.

Básico da cozinha em livros

Como comprar cortes de carnes diferentes, como fazer molhos bases, em quanto equivale 200g de manteiga em colheres… são tantas as dúvidas quando a gente começa a cozinhar. Com a ajuda da internet, é possível descobrir muitas dessas informações e tirar dúvidas, mas se você for uma pessoa neurótica como eu, sempre fica aquela dúvida se esse é realmente o melhor caminho a seguir.

Alguns livros resolvem muitos desses problemas. Ganhei dois que dão uma verdadeira aula para você aprender a se virar muito bem na cozinha.

Um deles é o Larousse da Cozinha Prática. Ele funciona como uma enciclopédia e, em cada letra, um verbete diferente: batata, cordeiro, cereja, queijo, limão, maçã. Sempre tem umas 4 ou 5 receitas para cada verbete. Além disso, no início do livro, tem um guia rápido de cozimento para diversos tipos de carne, frutas, legumes e outros; uma lista de instrumentos que você precisa para começar a brincadeira de chef; explicações sobre vários ingredientes. Enfim, uma verdadeira obra da Larousse.

Larousse da Cozinha Prática

Outro livro que segue a mesma linha é o 400g – Técnicas de Cozinha. O livro tem glossário de algumas ações que sempre vemos nas receitas, ensina como limpar alguns ingredientes, fala sobre algumas técnicas que achamos impossíveis de realizar quando temos contato pela primeira vez e tem um monte de receitas com os mais diversos tipos de alimentos.

400g - Técnicas de Cozinha

Eles são ótimos para quem tem um pouco mais de experiência na cozinha ou para quem não tem prática nenhuma. Recomendo o investimento e fiquei muito feliz dos meus amigos terem me presenteado com eles para enriquecer a minha biblioteca gastronômica. =D

Receitas mais práticas e sem vergonha por isso

Ando um pouco preguiçosa até para a cozinha. Coisas mais rápidas, como um biscoito com cream cheese, têm sido a minha melhor aposta nos últimos dias. Por isso, o sumiço aqui do blog, mesmo com algumas receitas guardadas. Uma delas, eu fiz um dia antes desse meu recesso virtual e já indicava a minha falta de vontade. É algo bem simples, rápido e fácil de fazer: batatas ao forno com uma saladinha, misturando e quente e o frio.

Para a batata, basta separar quatro unidades e passá-las no ralador, picando em rodelas finas. Unte com manteiga uma forma e coloque as batatas raladas nela. Em cima, você coloca sal, páprica picante, pimenta do reino, alguns fios generosos de azeite, completando com queijo ralado em cima. Leve ao forno médio para gratinar por cerca de meia hora ou até que a batata esteja dourada na parte de cima.

Para acompanhar, usei palmito, alface lisa, tomate, atum defumado Gomes da Costa e uns cubinhos de queijo. Funciona bem de noite, viu?

PS: Cuidado para não deixar as fatias de batata muuuito finas porque senão, elas ficam mais douradas do que as outras e mais rapidamente.