O melhor tempero do mundo

Corre para lá, ajuda daqui, tenta – leia bem, tenta – colocar as promessas de ano novo em prática. Essa foi a minha rotina desses primeiros vinte dias do ano. E, assim, fui deixando as minhas panelas um pouco de lado e o blog também (viu a parte de tentar colocar as promessas em dia indo embora?).

Porém, um dia desses, sai do trabalho determinada a cozinhar e testar um presente que ganhei de uma amiga que visitou a capital da nossa vizinha Argentina. Ele é um pote de tempero, naquele estilo moedor, com um monte de ervas, pimenta em grão e sal grosso. Se você nunca valorizou o poder de um temperinho em seu prato, após experimentar esse, vai mudar de ideia O sabor fica simplesmente sensacional.

Resolvi estrear meu presente num dia que voltei do trabalho com vontade de comer uma massa. Peguei 200 g de shimeji, o mesmo tanto de shitake e refoguei com alho na manteiga. Quando eles estavam quase no ponto, acrescentei uns 8 galhinhos de brócolis que já tinha cozido no vapor.

Joguei um pouco de shoyu nesse refogado e deixei na minha panela Wok (outro presente) mais um pouco. Aí, acrescentei uma lata de creme de leite light, um pouco do tempero já citado e deixei até começar a dar uma fervida. Em paralelo, eu coloquei cerca de 250 g de macarrão penne para cozinhar. Depois dele estar no ponto, escorri e misturei na wok com aquele molo e joguei castanha granulada em cima.

O macarrão já estava bom por si só, mas o temperinho fez uma diferença gigantesca, com certeza. Vou pra Buenos Aires em alguns dias e na minha lista de compras está o refil desse tempero. Mas, acho que dá para recriar por aqui. É só colocar quase nada de sal grosso, pimenta do reino seca e sem estar triturada, cebola granulada, estragão, salsa e manjericão (todos secos, ok?). Até ovo fica mais gostoso com esse tempero.

Ajuda para a Carol

Hoje, eu vou mudar um pouco o tema do blog, mas é por um motivo especial: ajudar a Carolina, minha cunhada! Como alguns já sabem, ela está com leucemia. É provável que a gente precise de doadores de plaquetas nos próximos dias. Como ela tem um prazo de validade bem pequeno (5 dias), meu irmão vai montar um banco de dados com o telefone das pessoas para ele ligar assim que a necessidade for surgindo.

Quem quiser ajudar, mande seu nome completo, telefone e e-mail para lpinheiro76@gmail.com e ele irá entrar em contato quando precisar. LEMBRANDO QUE A DOAÇÃO NÃO É PARA AGORA, OK?

Para doar as plaquetas, você terá que comparecer ao IGESP (Rua Silvia, 276), que fica próximo à Paulista. O bom é que o banco de plaquetas deles funciona de segunda a sexta, das 13 às 17 horas e nos sábados, das 8 às 17h. Assim, todo mundo pode participar.

Abaixo, mais algumas informações sobre o procedimento.

Agradeço a todos que puderem colaborar de alguma maneira.

Quem pode doar?
Qualquer pessoa saudável com ótimas veias, com 50 kg ou mais e que seja facilmente localizado pela família do paciente quando necessário doar.

Quem não pode doar?
Todos os que não se enquadrem no item acima ou nas Normas do Ministério da Saúde: acesse http://www.hemonline.com.br/msdoacao.htm

Quem não deve doar?
O potencial doador para transplante de medula para o mesmo paciente.

Qual tipo de sangue?
Deve ser preferido o doador ABO-compatível. Mas no caso aqui qualquer um.

Qual o intervalo entre cada aférese?
Os exames sorológicos devem ser renovados a cada doação, ou realizados, no máximo, 24 horas antes da doação. Este procedimento visa aumentar a segurança transfusional, já que existe um período entre a con…taminação do indivíduo e a demonstração disto em resultados laboratoriais.Ver mais

Quem se beneficia?
Pacientes que sangram devido a baixa contagem de plaquetas por causa de leucemias, aplasia de medula óssea, quimioterapia, radioterapia etc.

O procedimento é doloroso?
Em termos. O doador será submetido a duas punções venosas semelhantes a da doação tradicional, uma em cada braço. O procedimento por ser feito com a ajuda de um equipamento sofisticado e tem duração de aproximadame…nte 90 minutos durante os quais o doador ficará sentado conversando ou assistindo televisão. Mais demorado que a doação tradicional, a plaquetaférese exige uma colaboração maior do doador ao paciente.

Eu corro risco de contaminação ao doar plaquetas?
De forma nenhuma. Durante todo o processo somente são utilizados materiais estéreis de uso único em sistema fechado de forma que o sangue do doador não entra em contato direto com o equipamento.

Eu preciso usar algum medicamento?
Não. Durante o procedimento uma certa quantidade de anticoagulante circulará por seu sangue para evitar que este coagule no circuito, mas a quantidade é mínima e não lhe prejudicará em nada. Normalmente, um pouco de soro fisiológico é acrescido ao circuito para completá-lo.

Eu posso sentir algum efeito adverso?
Raramente. Alguns doadores podem experimentar sensação de “friagem”, tremor ou hipotensão devido ao anticoagulante ou à ansiedade.

Estas plaquetas não me farão falta?
Não, porque cerca de 30% das suas plaquetas serão doadas sendo que destas, 10% você recupera em uma hora e o restante em cerca de 24 horas.

Makro Speciale

Descobri o Paraíso ontem. O Fernando tem verdadeira paixão por cervejas. Mas nada de Kaiser, Bohemia ou Patricia. Ele curte umas cervejas mais elaboradas, com processos de produção mais artesanais.

Desde que ele descobriu esse mundo, vem me levando a uns lugares bem interessantes também. E um desses eu conheci ontem: o Makro Speciale. É uma área das lojas da rede de varejo Makro voltada somente para bebidas, embutidos, queijos, especiarias… e tudo com um preço super atraente.

Encontrei vinhos chilenos, argentinos e até italianos por preços mega camaradas; arroz arbóreo por cerca de 8 reais o kilo; entre outras coisas muito interessantes.

Vale o passeio. Para fazer a carteirinha de sócio do Makro basta levar RG, CPF e um comprovante de residência na loja. Não custa nada. Se quiser saber onde pode encontrar Makro Speciale, basta entrar aqui.