Risoto de espinafre e queijo de cabra

Além do Fernando, meu companheiro de vida e maior incentivador em tudo o que eu faço, tenho algumas outras pessoas que estão sempre ali, me empurrando para a aventura de me arriscar na cozinha, dizendo que está gostoso, buscando sugestões e me instigando a alimentá-las.

Uma delas é a Anne. Amiga herdada do Fê, cheia de peculiaridades: ela não gosta de música em espanhol, nem de covers em qualquer língua; me enche a paciência porque eu curto Fernanda Takai; sempre reclama do meu ar condicionado; me dá bronca se eu conto meus desejos para outras pessoas; me ensina algumas coisas sobre espiritualidade; me apresenta sites bacanas e vídeos bobos; não gosta de risoto com tomate, nem de tomate cru; e mais um monte de detalhes pitorescos.

Desde que eu fiquei mais próxima dessa pessoa de 1,5 m, toda vez que faço risoto, lembro dela. E já tive oportunidade de fazer um risoto para essa moça exigente e, se ela não tiver mentido (o que é difícil porque ela sempre diz o que pensa), acho que agradei. A base do risoto é a mesma de todos e você pode seguir a preparação por aqui. Mas não esqueça do vinho branco, como esqueci nesse link, ok?

O sabor escolhido foi espinafre e queijo de cabra. Apesar dos dois serem fortes, eles armonizaram muito bem. Peguei um maço de espinafre, lavei as folhas e refoguei no alho e cebola. É incrível como uma quantidade gigantesca de espinafre se transforma em quase nada quando você refoga. É quase frustrante.

Quando o risoto estava quase pronto, acrescentei o espinafre, uma caixa de creme de leite e mais uns 100g de queijo de cabra. Continuei mexendo até ele derreter. Acrescentei um pouco de pimenta branca só para dar um toque especial e um gosto picante que, na minha opinião, combina muito bem com os ingredientes dessa receita.