Chef’s Table

Devo estar um pouco atrasada, mas acho que a dica ainda é válida. No final de semana, uma amiga indicou uma série do Netflix (que está mandando muuuuuuuuito bem no conteúdo exclusivo). O nome? Chef’s Table.

A ideia do programa é contar sobre a vida de importantes chefs do mundo inteiro. Ainda não vi tudo – na verdade, só assisti ao episódio de  Massimo Bottura dono de nada mais, nada menos do que três estrelas no Michelin para o seu Osteria Francescana (Módena, Itália).

A fotografia é linda e a história do cara me deu vontade de largar tudo, pegar um avião e me mudar para a Itália.

Além dele, os outros chefs da primeira temporada são  Ben Shewry (Melbourne, Austrália), Magnus Nilsson (Järpen, Suécia), Francis Mallmann (Buenos Aires, Argentina), Niki Nakayama (Los Angeles, EUA) e Dan Barber (Nova York, EUA).

Olha só que apetitoso o trailer oficial

Brigadeiro de paçoca 

Ok! Já acabaram as festas juninas e as julinas dão tchau essa semana. Mas como resistir à paçoca? E se juntar paçoca e brigadeiro?

Essa receita é bem fácil e, como disse uma amiga que provou, ela lembra um pouco o cajuzinho que enfeitou nossas mesas de aniversário na infância. Os ingredientes:

  • 1 lata de leite condensado
  • 1 lata de creme de leite
  • 1 colher de sopa de manteiga sem sal na temperatura ambiente
  • 3 paçocas esfareladas

Coloque os ingredientes em uma panela e misture bem. Ligue o fogo (nem muito alto, nem muito baixo) e vá mexendo até que o brigadeiro solte do fundo da panela quando você passar a colher. O esquema é o mesmo do brigadeiro normal, mas ele fica um pouco mais molenga, sem ponto para enrolar. Se for fazer para uma festinha, o ideal é colocar em potinhos. Aqui em casa, coloquei em pequenos ramequins (potes de porcelana canelados). Rendeu quatro porções bem generosas. Usei um pouco de paçoca esfarelada para decorar. 

 

Bolo de salmão

Aproveitando que o tema da prova de eliminação do Master Chef Brasil dessa última terça foi salmão, vou compartilhar uma receita com ele. Nada muito elaborado, mas que cai muito bem num lanche da tarde ou num piquenique: Torta de salmão com dill. Os ingredientes são:

  • 3 ovos
  • 1/2 xícara de leite
  • 1/2 xícara de óleo vegetal
  • 1 1/2 de farinha de trigo branca
  • 1 colher de chá de fermento químico
  • 1 colher de chá de sal
  • 100g de salmão defumado em tirinhas finas
  • 1/2 xícara de folhinhas de dill
  • 1/2 xícara de cebolinha picada
  • pimenta-do-reino a gosto

Bata no liquidificador os ovos, o leite, o óleo, a farinha, o fermento, o sal e a pimenta-do-reino. Com o liquidificador desligado, misture com a ajuda de uma espátula, o dill, o salmão e a cebolinha. Transfira para uma forma untada e enfarinhada. Leve ao forno pré aquecido a 180 graus. Asse por cerca de 45 minutos ou até que o bolo tenha crescido e fique dourado. Eu servi com uma saladinha básica.

  

Antepasto de abobrinha

Já disse aqui que amo antepasto! Me alimentaria deles a vida inteira sem medo de ser feliz. Achei uma receita ótima num site chamado Aqui na Cozinha. Fácil e deliciosa!

Os ingredientes

  • 4 abobrinhas raladas
  • 6 dentes de alho espremidos
  • 1 cebolada ralada
  • 1 colher de sopa de sal
  • 1 colher de sopa de orégano 
  • Pimenta-do-reino a gosto
  • 3 colheres de sopa de vinagre balsâmico 
  • 1/2 xícara chá de azeite

Passei as abobrinhas e a cebola no processador de alimentos e espremi o alho em cima dessa mistura. Coloque metade do azeite em uma assadeira. Depois, coloque todos os ingredientes, misture bem e regue com o restante do azeite. Leve ao forno na temperatura de 200 graus. Deixe por 15 minutos, tire para misturar um pouco e deixe até que as bordas comecem a dourar.

O cheiro enquanto assa é muito bom! E o sabor, idem! Você pode servir com pão, usar em uma salada ou até colocar em cima de um peixe. O sabor de alho fica bem evidente. Dá para trocar a abobrinha por berinjela também. Assim que testar essa versão, falo se deu certo. 

  

  

Bolinho de chuva para airfryer

Primeiro, preciso começar esse post dizendo que a airfryer deixa os alimentos como se tivessem chafurdados em óleo. Mas bolinho de chuva ainda não rolou. 

Não comia bolinho de chuva desde que minha avó parou de cozinhar por conta do avanço do Alzheimer. Ele morreu há uns quatro anos, ficou doente por mais ou menos o mesmo tanto, então faça as contas. Tenho pavor de uma panela cheia de óleo na cozinha e esse quitute me fazia lembrar minha avó de uma maneira dolorida.

Achei um blog maravilhoso cheio de receitas para usar na fritadeira a ar. O nome dele é Fritadeira sem Óleo e tem um monte de receita bacana. Foi dele que tirei essa receita de bolinho de chuva para matar um pouco da saudade da minha Dona Diva, sossegar o coração e as lombrigas.

A receita leva:

  • 1 xícara de leite com um ovo dentro
  • 1/2 xícara de açúcar
  • 1 pitada de sal
  • 2 colheres de sopa de margarina derretida
  • 2 e 1/2 xícaras de farinha de trigo
  • 1 colher de sopa de fermento químico

Misture todos os ingredientes em uma tigela até ficar bem homogêneo. Se sua fritadeira tem o fundo furadinho como a minha, forre com papel manteiga  para os bolinhos não grudarem no aramado. Deixe a fritadeira aquecendo a 200 graus por cinco minutos. Depois, faça bolinhas pequenas e leve-as para fritar na temperatura de 200 graus por cerca de 7, 8 minutos. Lembre-se que a bolinha cresce um pouco, então deixe o espaço de um dedo entre cada um dos bolinhos.

Depois, passe as bolinhas numa mistura de 1/2 xícara de açúcar e 1 colher de canela. Como não existe a gordura do óleo, pode ser que o açúcar não grude no bolinho. Você pode salpicar por cima só para fazer uma graça ou deixar potinhos com a mistura para as pessoas passarem seu bolinho.

Resultado: é uma ótima pedida para um chá da tarde, mas esse é um caso em que o óleo faz muita falta!

  

Bolo de cenoura 2

Já publiquei uma receita de bolo de cenoura aqui, mas confesso que fiquei mais feliz com essa receita, então resolvi fazer outro post. 

Num domingo chuvoso qualquer, enquanto estava fazendo Clarice dormir, ela me disse que queria comer bolo de cenoura. E lá fui eu atrás de uma receita que me ajudasse a realizar o desejo da pequena.

Achei uma no blog I Could Kill For Dessert, da Danielle Noce (uma das minhas blogueiras e youtubers predileta). Os ingredientes são:

  • 3 cenouras raladas
  • 200ml de óleo de girassol
  • 3 ovos 
  • 2 xícaras de chá de açúcar 
  • 2 xícaras de chá de farinha de trigo
  • 2 colheres de fermento químico em pó 

Bata tudo no liquidificador (ela dá a opção de bater as cenouras, o óleo, ovos e açúcar primeiro e misturar com a farinha e o fermento em uma tigela. Mas sou a favor da praticidade) e despeje numa forma untada e enfarinhada. Eu escolhi uma forma com furo no meio, mas acho que uma forma retangular grande seria melhor. Leve ao forno pré-aquecido (180 graus) por cerca de uma hora ou até que o palito saia limpo. 

Para cobertura, fugi da receita dela. Fiz duas receitas de brigadeiro e cobri.

Para o brigadeiro usei:

  • 2 latas de leite condensado
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 8 colheres de sopa de chocolate em pó 

Misture, ainda com o forno desligado, o leite condensado e o chocolate. Quando estiver tudo bem incorporado, acrescente a manteiga e ligue o fogo (baixo). Mexa sempre até que o brigadeiro solte do fundo da panela. Quando o bolo estiver frio, jogue por cima dele.

Pegue um pedaço, uma caneca de café e seja feliz!

  

Strogonoff

Está aí uma receita clássica, básica e fácil: strogonoff. Esse prato de origem russa (até esse post, sempre achei que ele tivesse origem francesa) é mega popular no Brasil. 

Existem algumas versões dele, segue aqui a minha receita:

  • 500g de filé mignon cortado em cubos
  • 2 potes de creme de ricota
  • 3 colheres (sopa) de catchup
  • 2 colheres (sopa) de mostarda
  • 1/2 copo de rum
  • 200g de champignon em conserva

Em uma panela, refogue a carne com dois dentes de alho picados. Coloque sal a gosto. Quando a carne estiver ao ponto, coloque o rum e mexa até que ele evapore. Coloque o catchup e a mostarda e misture. Acrescente o champignon e o creme de ricota, misture e deixe ferver. Pronto. 

Para servir, arroz branco e batata palha. Esse é um prato que agrada e quebra um galho para um almoço bacana.